BIBLIOTECA DA FEAAC/UFC


A Biblioteca da FEAAC atende aos cursos de graduação em Economia, Administração, Ciências Atuariais, Ciências Contábeis, Secretariado Executivo e Finanças. Além do Programa de Pós-graduação em Administração e Controladoria e diversos cursos de Especialização, todos vinculados a Universidade Federal do Ceará.

Encontre-nos também em nossas redes sociais

DICAS DE RECURSOS PARA PUBLICAÇÃO E PESQUISA EM ACESSO ABERTO

Recursos de pesquisa em acesso aberto dizem respeito àquelas bases que permitem pesquisa, acesso e download de seus conteúdos de forma gratuita. Estão inseridas dentro do movimento “open access” (acesso aberto, em português) e, por isso, qualquer pessoa, mesmo sem vínculo acadêmico, pode utilizar essas bases e desfrutar do conhecimento por elas disponibilizado.

Além de estarem alinhadas com o acesso aberto, bases, como Scielo, DOAJ, AmeliCA, REDIB e Redalyc, possuem a virtude de abranger em maior número o conhecimento produzido no sul global, incluindo, com grande sucesso, a maior parte do conhecimento produzido no Brasil, por exemplo.

Dessa forma, vocês podem e devem usar e divulgar estes recursos.
Quanto mais utilizarem recursos em acesso aberto, mais “argumentos” os gestores dessas plataformas terão para angariar recursos e políticas públicas com foco em estruturar e aumentar a oferta de conhecimento científico aberto e gratuito.

Confere o post 🙃

Dicas básicas para acessar quaisquer bases de dados

Dicas de canais e perfis sobre comunicação e divulgação científica

Com a pandemia de COVID-19, boa parte dos conteúdos didáticos e científicos se concentraram exclusivamente no online, o que intensificou uma tendência que já despontava como significativa há algum tempo.

Muitos canais de divulgação científica foram criados nas várias redes sociais, assim como os que já existiam se fortaleceram. Nota-se muita gente boa colocando em prática essas novas ferramentas de comunicar informação e conhecimento, nas mais variadas áreas científicas e de formas cada vez mais interativas, o que vem produzindo crescente engajamento.

Nesse imenso mundo de possibilidades, relacionamos,  a partir da nossa própria experiência, alguns desses canais e perfis que estão produzindo bom material de esclarecimento sobre várias questões científicas, pedagógicas e metodológicas.

Quem souber de mais, por favor, postar nos comentários.

Confere nas imagens do post.

V Semana de Metodologia & Produção Científica

A V Semana de Metodologia & Produção Científica #smpc2020, realizada entre 21 e 26 de Setembro, do corrente ano, apresentou ótimas falas ao abordar temas cruciais do desenvolvimento da cultura acadêmica e científica. Mais uma vez o evento acertou em cheio e, nesta edição, totalmente online, por conta da pandemia em curso, podemos amplificar o alcance do evento , gratuito e aberto, através do canal Plurissaberes BCH UFC.

Organizado pela Biblioteca de Ciências Humanas, Biblioteca da FEAAC e Biblioteca da Faculdade de Direito, todas da Universidade Federal do Ceará, os temas transitaram desde explicações sobre o Sistema de Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, estratégias de busca, dicas de redação científica, passando por escolha de periódicos para publicação, revisão sistemática, erros na escrita acadêmica em português, inglês e espanhol e chegando até a presença online de pesquisadores.

Abaixo segue a Playlist do youtube com todas as apresentações do evento:

 

Os slides da apresentação “Roteiro de escolha de periódicos para publicação” seguem abaixo:

Fake news, não!!!

E aí, como estão?
Espero que bem.

Desde já há algum tempo as fake news se alastraram em nossa sociedade, principalmente em temas polêmicos e em momentos que geram grande comoção social, como este que estamos vivenciando. E não é preciso dissertar aqui sobre os estragos que elas costumam fazer quando compartilhadas indiscriminadamente.
Sendo assim, nossos 2 centavos, a quem nos lê: acompanhem, POR FAVOR, pesquisadores ou intelectuais públicos que estejam compartilhando APENAS informações checadas. Sem mais.
Separamos alguns locais na web que funcionam como gerenciadores de informações em torno da temática do COVID-19, fontes confiáveis e autorizadas, de órgãos, entidades científicas e pesquisadores. Se precisarem de algo mais, por favor, entrar em contato via direct ou outros canais de atendimento da Biblioteca Universitária.

bibliotecadafeaac_90806787_142290763982085_3780777740993130802_n

Dica 1 – Recursos e informações úteis sobre o Covid-19, da OxFord-Brazil EBM. Endereço eletrônico: https://oxfordbrazilebm.com/index.php/recursos-covid-19/. .
Dica 2 – Especial Covid-19 – Últimas postagens da rede de Blogs de Ciências da Unicamp sobre o surto do novo coronavirus (2019-nCoV). Endereço eletrônico: https://www.blogs.unicamp.br/covid-19/

Dica 3 – Artigos publicados na Scielo Brasil, no Blog Scielo em Perspectiva. Endereço eletrônico: https://blog.scielo.org/blog/category/covid-19/#.XnjMy1Nv8wA

Dica 4 – Springer Nature – Pesquisas recentes, evidências e dados disponíveis sobre Coronavírus. Endereço eletrônico: https://www.springernature.com/gp/researchers/campaigns/coronavirus?utm_source=Nature+Briefing&utm_campaign=42f46b0957-briefing-dy-20200131&utm_medium=email&utm_term=0_c9dfd39373-42f46b0957-43415105

Dica 5 – Mais dicas aqui – Fontes de informação sobre o Coronavírus, Página do SIBI/UFRJ. Endereço eletrônico:
https://www.sibi.ufrj.br/index.php/inicio/294-fontes-de-informacao-sobre-o-coronavirus

Dicas 6: no Youtube, até o momento, o canal mais confiável em torno de disseminação sobre informações sobre o COVID-19, é o do Átila Lamarino. Biólogo e Doutor em Microbiologia, especializado em disseminação de vírus. Um dos vídeos: https://youtu.be/zF2pXXJIAGM

O que são Preprints?

Como algumas pessoas falam bastante, acertadamente, que para combater desinformação e fake news devemos recorrer a fontes oficiais e com algum tipo de respaldo de autoria (autoridade no assunto, site institucional, pesquisa científica e etc) muita gente, talvez até de boa-fé, da área não-médica e não-cientifíca, intensificou o acesso a periódicos científicos, especificamente, servidores de preprints e, na loucura apressada em busca de encontrar soluções para o combate ao novo coronavírus, tem realizado leitura e divulgado, sem as devidas ressalvas, esses conteúdos, ou seja, tomam estudos preliminares, que ainda não passaram por nenhum processo de revisão por pares, como se fossem estudos definitivos, o que pode gerar ainda mais desinformação e desorientação social, ainda que a informação tenha sido coletada em fonte dita segura.
Neste sentido, este post esclarece o que é preprint e outros elementos da comunicação científica com a finalidade de oferecer subsídios interpretativos para quem acessa este tipo de conteúdo científico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Scielo Books:acesso aberto a livros acadêmicos de várias áreas

Acompanhem as imagens do post:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Operadores booleanos: use sem medo

Buscando informações em catálogos digitais de bibliotecas ou entrando e saindo de bases de dados, você já deve ter notado que a maioria deles possui um campo principal, digamos, de busca para autor, título e termo livre. Não sendo suficiente (e quase nunca é) você pode partir para a busca avançada, geralmente encontrada ao lado ou imediatamente abaixo desse campo principal de busca. E o que tem nessa busca avançada? Os famosamente desconhecidos, operadores booleanos, usados para restringir ou ampliar a busca, atribuindo assim, maior precisão aos resultados.
.
Acompanhem nas imagens do post.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Parênteses, aspas, operadores de proximidade e caracteres especiais: em busca da precisão

Complementando o post anterior sobre operadores booleanos, neste, há dicas sobre uso de parênteses, aspas, operadores de proximidade e especiais que, a depender da profundidade e da especialidade do tema pesquisado, vocês podem necessitar aplicar, em nome da economia de tempo e da precisão dos itens recuperados na busca, pois a finalidade é sempre ter melhores e mais relevantes resultados em suas pesquisas.
.
Importante também verificar as possibilidades de uso desses tipos de operadores, pois, apesar de um ou outro serem mais comuns, nem todas as bases os incluem em suas montagens de estratégias de buscas, o que mostra a importância de participar dos treinamentos oferecidos pelas bibliotecas da UFC e de baixar os materiais didáticos das bases no Portal de Periódicos da Capes para tomar ciência desses detalhes.Acompanhem nas imagens dos posts.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Repositórios institucionais: pesquise toda a produção científica das universidades

Situação hipotética: estou começando uma pesquisa. Então, pra levá-la adiante, imaginemos que será preciso conhecer toda a produção acadêmica da minha área na instituição em que estudo, no caso da maioria que nos ler, da UFC. Começo o levantamento bibliográfico de uma maneira que (situação bem comum, acontece com frequência nos acervos físicos das bibliotecas) me enfio no meio das estantes de tcc’s, dissertações e teses do acervo tentando encontrar: 1) uma ou alguns materiais com meu tema de pesquisa pra levantar referências 2) querendo dar uma olhadinha pra “printar” a formatação e aplicar em meu trabalho acadêmico e 3) encontrar aquele material específico indicado com ênfase pelo orientador(a). Tudo bem: encontro alguns materiais que realmente irão me servir e me dou por satisfeito. Perdi algum tempo, acessei bem menos informação do que precisava, talvez não possa levar emprestado tudo o que queria, talvez até tenha que deixar algo relevante na biblioteca mas, enfim, o que peguei irá servir. Tem que servir. Aí surge a questão: será? Poderia fazer diferente disso e conseguir bem mais informação, mais atualizada e relevante? Se a resposta é não, é porque você ainda não conhece a dinâmica dos repositórios digitais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A maioria das grandes universidades públicas brasileiras e internacionais possuem repositórios digitais que, neste contexto, chamam-se repositórios institucionais. Eles reúnem, preservam e disponibilizam com facilidade e gratuitamente para qualquer pessoa com acesso a internet (pois estão dentro da lógica do movimento de acesso aberto) a produção científica dessas IES. Ou seja, é um ótimo ponto de pesquisa, mais um, que oferece artigos científicos, capítulos de livros, tcc’s, dissertações, teses e etc. e pode enriquecer suas referências na hora da produção acadêmica.
Por exemplo, a maior parte da produção científica da UFC encontra-se acessível no Repositório Institucional da UFC. E assim acontecem com repositórios da UFPE, UFBA, USP, UNICAMP e as demais nacionais e internacionais.
Então, que tal conhecer e começar a usar bem mais os repositório institucionais das IES?
Nas imagens do post, seguem os benefícios dos RIs + dados do RI da UFC/ FEAAC.

Referências Bibliográficas: ferramenta online gratuita para citar e referenciar

Está com um material em mãos ou na web e não sabe como citá-lo e referenciá-lo?
Temos dica? Sim.
Ferramenta que pode ajudar a citar e a referenciar no formato ABNT, Vancouver, NLM e MLA 8, e que inclusive já apareceu no feed de uma das nossas parceiras, a @bchufc, é a Referências Bibliográficas.
A Referências Bibliográficas tem uma interface enxuta, intuitiva, muito semelhante a outra boa ferramenta com o mesmo intuito, o MORE. Basta ir preenchendo os campos correspondentes às informações solicitadas sobre o material e clicar em formatar.
Utilizem!
O endereço eletrônico é: https://referenciabibliografica.net/a/pt-br/ref/abnt

22

Episódio sobre acesso aberto no BCHcast / (Pluris saberes)

Em dois episódios, o bibliotecário Kleber Lima discute, em linhas gerais, as questões que envolvem o acesso aberto no Brasil e no mundo. Esta é a primeira parte dessa discussão, que traz os principais documentos que norteiam o movimento pelo acesso aberto, dentre eles o ‘Manifesto Brasileiro de Apoio ao Acesso Livre à Informação Científica’, disponível em: http://livroaberto.ibict.br/Manifesto.pdf .

Disponível em: https://open.spotify.com/episode/7fQcdpgYOMNLBDaNNX5nke?si=MnwJPM0gSjiXkX2_y6DUnQ

bibliotecadafeaac_82739933_227754804905656_2799606384695455296_n

 

 

 

Para conhecer mais Google Acadêmico: Botão do Google Acadêmico

Post n° 5 da série sobre Google acadêmico elaborado pela bibliotecária Izabel Santos @estantedebibliotecaria.

____

Hoje chegamos a quinta (e última) postagem sobre o Google Acadêmico!! 🎉✨🎉 O Google Acadêmico disponibiliza um botão que, ao ser instalado no navegador, facilita a busca por publicações acadêmicas enquanto você estiver lendo alguma publicação online.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Esse botão pode te ajudar a encontrar documentos que também usam aquele termo e otimizar suas buscas online.

Para conhecer mais Google Acadêmico: minha biblioteca

Post n° 4 da série sobre Google acadêmico elaborado pela bibliotecária Izabel Santos @estantedebibliotecaria.

_____

No penúltimo post da série sobre o Google Acadêmico vamos falar da funcionalidade “Minha Biblioteca”. Essa opção permite salvar e organizar resultados de busca de seu interesse.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Pra conhecer mais Google acadêmico: métricas de citação

Post n° 3 da série sobre Google acadêmico elaborado pela bibliotecária Izabel Santos @estantedebibliotecaria.
.
.
———
Hoje vamos voltar ao perfil no Google Acadêmico para conhecer as métricas de citação que ele fornece. São elas: Citações, Índice H e Índice i10. Acompanhe as imagens para saber mais sobre cada uma delas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E se ficar com alguma dúvida, comenta que tento te explicar da melhor maneira.

Para conhecer mais Google Acadêmico: alertas

Esse é o post n°2 da série organizada pela Bibliotecária Izabel Lima.

***

Continuando a série de postagens sobre o Google Acadêmico, hoje vou falar sobre alertas.

Você não precisa ter criado seu “perfil de pesquisador” no Google Acadêmico (post 1) para cadastrar os alertas. Na verdade, você não precisa nem ter um gmail pra fazer isso 😉 No Google Acadêmico é possível cadastrar alertas para assuntos ou para acompanhar a produção de um/a pesquisador/a específico/a.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No caso de alertas para assuntos, você pode cadastrar qualquer tema que seja de seu interesse. Já para alertas sobre a produção de um/a pesquisador/a é preciso que ele ou ela possua perfil no Google Acadêmico para que você possa segui-lo ou segui-la. Em ambos os casos, você será avisado por e-mail sobre novas publicações que se encaixem no tipo de alerta criado.

Acompanhe as imagens para saber como fazer isso.

Para conhecer mais Google Acadêmico: criação de perfil

Replicaremos em nosso blog uma série bem legal sobre Google acadêmico realizada pela nossa bibliotecária Izabel Lima em seu perfil no instagram @estantedebibliotecaria.
Vale a pena conferir, pois esta é uma ferramenta importante para acadêmicos de todos os níveis.
Esse é o post n°1. Acompanhem o perfil dela, tem muito mais.

———
Quem está, de algum modo, envolvido/a com o universo acadêmico já deve ter ouvido falar do Google Acadêmico. E, embora eu tenha minhas críticas ao Google e a Alphabet, sei que o Google Acadêmico é uma ferramenta muito útil para pesquisadores/as em variadas fases da carreira acadêmica. Eu o utilizo, inclusive.

Se você não sabe o que é o Google Acadêmico aqui vai um resumo:

Originalmente uma ferramenta de busca voltada para materiais acadêmicos (artigos, TCC, Dissertações, teses etc.) criada pelo Google em 2004, com o passar do tempo, o Google Acadêmico ganhou novas funcionalidades e hoje também é possível: criar perfil, acompanhar métricas, salvar materiais favoritos, criar alertas etc.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Enquanto acadêmico/a, a questão não é você usar o Google Acadêmico, mas fazer isso sabiamente.

O que quero dizer com isso? Conversando com algumas pessoas vi que a maioria utiliza, se muito, duas funcionalidades do Google Acadêmico: a busca básica e os alertas de publicações sobre um tema. Sem dúvida são recursos importantes, mas se você vai usar uma ferramenta explore ela ao máximo.
Para te ajudar no processo de descoberta e exploração dessa ferramenta, elaborei uma série com 5 posts falando sobre ela.

Optei por focar em cinco aspectos básicos dessa ferramenta e hoje veremos como criar o seu perfil de pesquisador/a no Google Acadêmico.
Dentre outras coisas, esse perfil pode ajudar a organizar e divulgar seus trabalhos acadêmicos e obter métricas de citações.

ONDE POSSO ENCONTRAR LIVROS CIENTÍFICOS DE QUALIDADE NA INTERNET E COM ACESSO LIVRE

A oferta de informação na internet só aumenta a cada dia. O principal desafio na atualidade nesta questão é filtrar toda essa informação, aprender a separar o “joio do trigo”. Há muitos sites/plataformas que oportunizam downloads de livros das várias áreas e disciplinas do conhecimento, tais como o domínio público (http://www.dominiopublico.gov.br),googlebooks (https://play.google.com/store/books/collection/topselling_free),openlibrary (https://openlibrary.org/) e etc., isso só para ficar em alguns. Gostaríamos de enfatizar os que tratam da literatura científica, por poderem subsidiar os estudos acadêmicos de vocês e por se tratarem de projetos e serviços já estabelecidos e cientes dos usos dos direitos autorais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nas imagens do post, seguem as sugestões de acervos online abertos.😊😊😊

● Lembrando sempre que no nosso repositório institucional, também aberto, você encontra toda a produção intelectual da UFC e em vários tipos de documentos (capítulos de livros, teses, dissertações, artigos, trabalhos de eventos entre outros).

Acesse o Repositório da UFC: (http://www.repositorio.ufc.br/)

● Livros eletrônicos oferecidos pela UFC
》Acesse 8.500 livros eletrônicos de diversas áreas do conhecimento, em texto completo, em língua portuguesa e estrangeira.
Endereço: http://ufc.dotlib.com.br/

●Quem souber de mais sites, portais, plataformas ou serviços que disponibilizam downloads de livros científicos e obedecem as leis de direitos autorais, por favor, comentem nos comentários 😊😊😊

SPELL – Scientific Periodicals Electronic Library

Está naquela correria atrás de REFERENCIAL TEÓRICO para escrever o seu tcc, dissertação, tese ou artigo?
Está fazendo buscas e não está encontrando REFERENCIAL TEÓRICO no tema que está pesquisando?
Pra você, da área de administração, contabilidade e turismo ficou um pouco mais fácil.

Pois é, o SPELL é mais uma dessas fontes em acesso aberto e gratuito, justamente com foco temático em administração, contabilidade e turismo.
Reúne artigos científicos, artigos tecnológicos, pensatas, entrevistas, editoriais, resenhas, casos de ensino, resumos de teses e dissertações, apresentações de fóruns, assim como seus similares, todos disponíveis livremente para consulta e download. Até o momento, são 48.806 documentos, com 13.649.899 de downloads e 40.676.891 de acessos.
13

O Spell também traz, de modo organizado, informações acerca dos principais periódicos das áreas de Administração Pública e de Empresas, Contabilidade e Turismo. Traz informações editoriais ligadas às características dos periódicos, rol de edições já publicadas e disponíveis na base do Spell, além de diferentes indicadores de impacto calculados anualmente.
Dessa maneira, pela relevância dos periódicos reunidos e indexados e pela abrangência temática, vale bastante a pena utilizar essa biblioteca eletrônica como recurso de pesquisa. É aberta. É gratuita.

O endereço é: http://www.spell.org.br

Quaisquer dúvidas sobre a utilização do SPELL ou interesse em conhecer novas fontes de informação em acesso aberto ou outras bases de dados dentro das áreas dos cursos oferecidos pela FEAAC/UFC, ligar no tel. 85 3366 7819 (Bibliotecário Kleber Lima ou Bibliotecária Kalline Yasmin) ou através do email: bibliotecafeaac@ufc.br.

Extensores de navegação em Acesso Aberto / Open Access

Para quem está acompanhando nossa série de postagens sobre acesso aberto, já deve ter compreendido um pouco da história, o que é e quais são as motivações que o sustentam como proposta científica mais democrática e viável financeiramente perante os tradicionais meios de acesso a comunicação científica ainda vigentes.
Já é possível também compreender que a maior parte do conteúdo em acesso aberto encontra-se em repositórios digitais, redes sociais acadêmicas e em revistas científicas listadas no DOAJ (Directory of Open Access Journals). Porém, para além dos mecanismos de acesso aberto já apresentados nesta série, temos também as extensões de navegação, e este é o assunto do post.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Essas extensões funcionam como plugins que você adiciona gratuitamente aos seus navegadores. Basicamente, no momento da busca, esses plugins colherão conteúdo de coleções em acesso aberto, desde artigos publicados nestas coleções às referidas versões em acesso aberto ou preprint e ainda, caso não encontrem, serão capazes de encomendar os artigos diretamente com os autores.
Nas imagens do post apresentaremos o Open Acess Button (Botão de acesso aberto) e o Unpaywall.

Muito legal né?
Curtam, comentem e compartilhem 🤗

Benefícios de publicar em acesso aberto

Em nossa quarta postagem sobre o tema, gostaríamos de enfatizar alguns dos benefícios de publicar em Acesso Aberto. Você sabia que….

Este slideshow necessita de JavaScript.


.
(continua nas imagens do post ☺)

Redes Sociais Acadêmicas

Vamos repostar a série de posts onde abordamos o tema do Acesso Aberto em nossa página do instagram (@bibliotecadafeaac) agora em nosso blog. Este é o post nº 3.

Vale a pena ir acompanhando!!!

Dentre as mais interessantes e crescentes mídias tecnológicas de compartilhamento, conexão e colaboração para produção de conhecimento, maximizando o acesso à informação, as Redes Sociais Acadêmicas têm se destacado.
Prevalece a lógica de interação semelhante a redes sociais mais populares, tal como facebook, tendo como pano de fundo obviamente o uso acadêmico e científico, através da apresentação e possibilidade de construção e discussão sobre trabalhos em andamento ou concluídos de cientistas e pesquisadores. Isso potencializa a capacidade de gerenciar a produção de conhecimento entre os pares.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma especificidade que muito agrada diz respeito justamente a possibilidade de conseguir trabalhos científicos mais facilmente, o que coloca as redes sociais acadêmicas no itinerário de ferramentas de pesquisas de acesso aberto, muitas vezes facilitado pelo contato direto com os autores.
Uma ressalva, assim como para quaisquer outras redes sociais, é com as informações que atestamos e registramos nos servidores de cadastro destas, o que implica em lermos as normas e tentarmos extrair alguma garantia pelo menos expressa de que as informações pessoais e de pesquisa não terão uma finalidade outra que não a comunicação científica voluntária entre sujeitos do conhecimento.
Outra ressalva, que se pode fazer, é com os direitos autorais dos trabalhos já publicados anteriormente em outras canais de comunicação científica. Primeiramente, os trabalhos depositados em redes sociais acadêmicas, devem estar aptos ao depósito e compartilhamento. Recomenda-se aos seus usuários estarem cientes disso antes de fazerem os depósitos dos trabalhos.
Iremos pontuar 4 redes sociais acadêmicas entre outras que surgem a cada dia, a saber (Resumos nas imagens do post): ResearchGate, Mendelay, Academia.Edu e Zotero.

Acesso Aberto….

Vamos repostar a série de posts onde abordamos o tema do Acesso Aberto em nossa página do instagram (@bibliotecadafeaac) agora em nosso blog. Este é o post nº 2.

Vale a pena ir acompanhando!!!

Continuando com nossa série sobre recursos de pesquisa em Acesso Aberto, apresentamos o Redalyc.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Redalyc.org é um projeto acadêmico sem fins lucrativos que adere à filosofia de acesso aberto à literatura científica. Isso significa, de acordo com a definição da Budapest Open Access Initiative (BOAI-2001), que os usuários podem ler, copiar, copiar, distribuir, imprimir e pesquisar os textos completos de artigos científicos assim como usá-los, sem outras barreiras financeiras, jurídicas ou técnicas do que aquela que exige que se esteja online na internet. A única restrição para sua reprodução e distribuição é conceder aos autores o controle sobre a integridade de seu trabalho e o direito inalienável de ser devidamente reconhecido e citado.
.

Já ouviu falar em Acesso Aberto? (parte 1)

Vamos repostar a série de posts onde abordamos o tema do Acesso Aberto em nossa página do instagram (@bibliotecadafeaac) agora em nosso blog. Este é o post nº 1.

Vale a pena ir acompanhando!!!

O Acesso Aberto (Open Access) é um dos movimentos mais relevantes da atual conjuntura científica. A proposta principal é permitir que qualquer pessoa com disponibilidade à internet tenha acesso irrestrito ao conhecimento científico. Para que isso se concretize, desde 2002, quando ocorreu o evento Budapest Open Access Initiative, onde ficaram estabelecidas as duas principais modalidades deste movimento (via verde e via dourada, respectivamente, dizendo respeito a auto-arquivamento e publicação em periódicos de acesso aberto), as sistemáticas discussões em torno desse tema vêm resultando em novas ferramentas de publicação e pesquisa, assim como também tem atingido dimensões estruturais, políticas e econômicas, que passam, por exemplo, por financiamento público, direitos autorais e patrimoniais, reutilização dos trabalhos e o papel das grandes editoras comerciais científicas nesse novo cenário.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Brasil é um dos países que despontam como principais desenvolvedores do acesso aberto. Não à toa, já em 2016, estávamos com 82,3% das revistas científicas em acesso aberto superando em muito a média mundial que era de 13%, segundo a consultoria Scimago. O nosso melhor exemplo encontra-se na Biblioteca Eletrônica Scielo, financiada pela FAPESP, que desde 1997, vem indexando os melhores periódicos brasileiros.
Discussões e seus desdobramentos Brasil à fora, o que queremos é indicar algumas ótimas possibilidades de pesquisa cujo “carro-chefe” é o acesso aberto (imagens no post). Esse é o primeiro de uma série de posts sobre o tema. Começaremos pelos Repositórios Institucionais.
O importante é que você saiba que, ao utilizar recursos em acesso aberto, não está apenas tendo acesso grátis a um artigo ou revista científica que em tese só iria acessar se pagasse ou mantivesse vínculo institucional com alguma universidade pública, mas sim contribuindo para que o mapa científico se reconfigure, priorizando um sistema mais aberto e socialmente justo de compartilhamento de informações pelo mundo, pois você não estará pagando duas vezes por um serviço que o retorno dos seus impostos já subsidia.
Por isso, utilizem recursos em acesso aberto!!!

Visite-nos!

(85) 3366-7819 ou (85) 3366-7821
Segunda - Sexta
08h - 21h
%d blogueiros gostam disto: